Realizada anualmente pela Willis Towers Watson, a pesquisa sobre Práticas de Remuneração em Conselhos de Administração e Fiscal tem como objetivo fornecer informações de práticas de remuneração de conselheiros, exclusivamente, permitindo análise e monitoramento das mudanças que vêm ocorrendo na remuneração destes profissionais.

Seguem os principais destaques da pesquisa de 2015, que contou com a participação de 34 empresas de diversas indústrias e portes:

  • Os Conselhos de Administração das empresas participantes têm, em média, 9 membros e tipicamente são conduzidas 12 reuniões por ano.
  • A maior parte das empresas participantes (74%) também possui um Conselho Fiscal instituído, que é geralmente formado por 3 a 5 membros. O papel do Conselho Fiscal é fiscalizar os atos dos administradores e verificar o cumprimento dos seus deveres legais e estatutários.
  • A existência de comitês para auxiliar os Conselhos é prática predominante, encontrada em 91% das empresas. Comitês de Remuneração/RH são os mais comuns, reportado por 68% das empresas participantes, seguido por comitês de Auditoria, comuns em 62% das empresas.
  • Nos últimos anos, o aumento da remuneração dos conselhos vem sendo superior à inflação, e também acima da média dos aumentos salariais de executivos, confirmando a importância estratégica dos Conselhos. Em 2015, por exemplo, a média da remuneração do Conselho no Brasil cresceu 9%, comparado com um crescimento médio de 6,5% de um executivo.

Faça sua adesão ou clique e conheça mais sobre a pesquisa Práticas de Remuneração em Conselhos de Administração e Fiscal - 2016.

Ressaltamos que todos os dados serão tratados de forma estritamente confidencial e que os resultados serão apresentados unicamente por meio de estatísticas e de forma consolidada. Nenhuma empresa terá acesso a dados individualizados ou codificados dos participantes.

A entrega dos resultados está prevista para junho de 2016.

Para mais informações, entre em contato conosco: